O Colégio Exponencial pauta toda a sua prática numa relação de transparência, confiança, sinceridade com todos os indivíduos a ele relacionados.

Constrói, reconstrói, reconfigura seu Projeto Pedagógico permanentemente, pois crê que educação é um processo histórico e social. Assim, o processo de criação, de construção do novo, está incorporado na sua dinâmica interna.

Direção, professores, equipe pedagógica e técnica, junto com alunos e pais, são artífices permanentes do pensar, do inovar, do recriar, visões e práticas.

Dessa forma, o Colégio Exponencial pode continuar novo, ser vanguarda, apesar de tantos anos na educação. Anos que dão condição ímpar ao seu projeto educativo: a tradição, sem a qual tudo é vazio e sem rumo.

Seu compromisso histórico, sempre explícito com a qualidade da educação é marca de quem faz educação comprometido com a comunidade local e regional.

Missão

Promover uma educação nos diversos níveis, comprometida com a melhoria das condições de vida das pessoas e da comunidade local-regional, pautada em sólidos conhecimentos científicos e técnicos, de caráter humanista, com espírito de inovação e criatividade, pautada em relações éticas.

Filosofia

A Instituição Exponencial está para além da lógica do mercado, onde a mercantilização, o lucro, tem lugar expressivo. Seu sentido maior está na possibilidade de contribuir com a realização de sonhos individuais e coletivos de pessoas humanas cujo foco seja contribuir na construção de um mundo, uma sociedade, onde as pessoas sejam valorizadas e reconhecidas, onde a vida da natureza tenha qualidade, as relações econômicas, sociais, culturais se estabeleçam na ótica justiça social.

Assim sendo, o Colégio Exponencial é um espaço plural, onde as diferenças de qualquer ordem têm valor inestimável, seja para a formação técnica, cultural, humana e científica, seja para a formação de valores humanos e sociais e de uma sociedade democrática. Esta perspectiva parte da premissa de que seus professores e servidores não são apenas funcionários, são, antes de tudo, pessoas humanas, sujeitos ativos, responsáveis solidários de um projeto de educação. Em cada um a Instituição se sintetiza e se apresenta e cada um precisa, no seu espaço de atuação, reconhecer-se como sujeito, sem o que, não alcança sua realização, enquanto homem ou enquanto mulher.

Têm, por isto, grande importância, a autonomia, a crítica construtiva/propositiva, a liberdade de opinião e expressão. Contudo, tal concepção não pode ser entendida como um liberalismo individualista e descomprometido. Pelo contrário, reforça a tese da valorização da pessoa humana e da sua sujeição às instâncias colegiadas e hierárquicas e suas decisões.

A ideia de movimento reiterada na missão, na filosofia, nos princípios, na função social da escola, enquanto instituição educativa e socioeducativa, traz subjacente o caráter histórico-cultural-social, tanto do homem quanto da sociedade, onde cada momento histórico presente corresponde a uma construção e representação da síntese de toda herança cultural-social, do homem, das relações entre si e com o meio e de todas as outras relações que a natureza estabelece.

A natureza privada do Exponencial se dá muito mais pela caracterização legal, que pela definição de seus dirigentes, sendo o compromisso social e comunitário sua grande motivação.